Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rabo de Cavalo

Blog de uma menina-mulher que ás vezes usa rabo de cavalo

22
Mai15

Carta a uma amiga

Olho para o teu pai e vejo o meu... olho para ti e vejo-me a mim... em tanto que somos parecidas, até na preocupação em demasia... nós queremos sofrer por eles, viver por eles, fazer como um dia eles já fizeram por nós... o teu pai, para quem ainda és aquela menina, com os totós, a correr em frente à porta de casa, a esfolar o joelho, para que ele pudesse soprar todas as tuas dores, mas cresceste, crescemos... e as feridas no joelho tornaram-se maiores e mudam-se para o coração.

Há duas formas de viver a vida: Uma é acreditar que não existem milagres... A outra é acreditar que todas as coisas, são um milagre.

Apenas tropeçamos nas pedras pequenas, porque as grandes nós conseguimos ver claramente, e como seria tudo tão mais fácil... Para mim a infelicidade apenas tem uma coisa boa: faz-nos conhecer os verdadeiros amigos. 

Estou aqui para apanhar as tuas lágrimas, os teus sorrisos. A dor alimenta a coragem, e tu és corajosa e destemida. Sei que virarás mundos para que tudo não acabe mal. Se algum dia a tua coragem esmorecer, rouba a minha. 

Durante algum tempo estivemos distanciadas, mas em qualquer momento deixei de ser tua amiga. Porque, é disto que afinal se trata: sou tua amiga. Estas três palavras resumem tudo o que eu possa fazer, dizer ou explicar.

Sou tua amiga.

 

Este texto é dedicado a Cláudia Linares e Fernando Linares

Filha e Pai

 

 

nós.jpg

 

2 comentários

Comentar post